outubro rosa

Outubro Rosa: Junte-se a essa Luta Você Também!

Diagnosticar precocemente o câncer de mama aumenta as chances de cura. A campanha Outubro Rosa está aí para te lembrar disso!

O mês de outubro é conhecido por ações internacionais relacionadas à prevenção e detecção precoce do câncer de mama. A campanha Outubro Rosa tem o objetivo de compartilhar informações e promover a conscientização sobre a doença.

É muito importante olhar com atenção para a saúde da mulher, proporcionar mais acesso aos serviços médicos e suporte emocional para reduzir a assustadora taxa de mortalidade.

Durante o mês, diversas instituições, encorajam as mulheres a realizarem exames periódicos e seguirem no melhor caminho aumentar as chances de cura: a prevenção.

Vamos entender um pouco mais sobre o Outubro Rosa?

Por que Outubro Rosa?

O movimento, conhecido como Outubro Rosa, foi criado nos anos 90 pela Fundação Susan G. Komen for the Cure com o intuito de conscientizar a população sobre a importância da prevenção do câncer que mais mata mulheres no Brasil e no mundo: o câncer de mama.

O nome da campanha remete à cor do laço que é um símbolo internacional usado por indivíduos, empresas e organizações que apoiam a luta contra o câncer de mama.

Por esse motivo é comum nos depararmos com o laço cor de rosa iluminando fachadas de diversas instituições públicas e privadas, com a finalidade de indicar sua adesão ao Outubro Rosa.

O desenvolvimento do câncer de mama

A doença é causada pela multiplicação desordenada de células anormais na mama que acabam gerando o cisto. Há vários tipos de câncer de mama que evoluem de diferentes formas, seu progresso vai depender muito de sua característica.

Sinais e sintomas de alerta

Embora possa ser uma doença assintomática em alguns casos, o câncer de mama pode ser percebido em fases iniciais por meio de sinais, como:

  • Nódulo (caroço), fixo e geralmente indolor: é a principal manifestação da doença, estando presente em cerca de 90% dos casos quando o câncer é percebido pela própria mulher;
  • Pele da mama avermelhada, retraída ou parecida com casca de laranja;
  • Alterações no bico do peito (mamilo);
  • Pequenos nódulos nas axilas ou no pescoço;
  • Saída espontânea de líquido anormal pelos mamilos.

Como identificar nódulos mamários

É fundamental que as mulheres, independentemente da idade, conheçam seu corpo e observem suas mamas em situações diárias. Seja na troca de roupa, no banho ou em qualquer situação que se sintam confortáveis.

Mesmo sem técnica específica, pelo toque dá para descobrir pequenas alterações mamárias.

Se houver permanência de alterações, deverá ser feita uma investigação médica para obter o diagnóstico do câncer diante a suspeita dos sinais e sintomas, por meio da mamografia.

Esse procedimento consiste em uma radiografia das mamas feita por um equipamento de raios X chamado mamógrafo, capaz de identificar alterações de câncer antes do surgimento dos sintomas.

Fatores de risco

As condições genéticas e fatores externos que podem aumentar os riscos da doença são:

  • Sedentarismo e inatividade física;
  • Obesidade (inclusive após a menopausa);
  • Consumo excessivo de bebida alcoólica;
  • Exposição frequente a radiações ionizantes (raios-x);
  • Casos de câncer de mama na família, principalmente antes dos 50 anos.

Obter o diagnóstico faz toda diferença!

Além da mamografia, alguns exames de imagem são recomendados para o reconhecimento ou ausência do câncer. Como por exemplo: a ultrassonografia e ressonância magnética.

Mas o diagnóstico preciso é feita somente através da biópsia, técnica que consiste na coleta de um fragmento do nódulo ou do cisto por meio de punções (extração por agulha) ou ainda de uma pequena cirurgia.

Tipos de tratamento do câncer de mama

Ao identificar o estágio da doença, será possível seguir com o tratamento. Há aqueles mais invasivos e com maiores efeitos colaterais e existem outros menos agressivos.

Entre os tratamentos mais comuns, estão:

  • Terapia endócrina (hormonioterapia)
  • Quimioterapia
  • Cirurgia
  • Radioterapia
  • Terapia-alvo.

A importância da campanha Outubro Rosa

Depois do câncer de pele não melanoma, o câncer de mama é o tipo de câncer maligno mais comum entre as mulheres após os 50 anos, de acordo com o Instituto Nacional do Câncer (INCA).

O tumor mamário corresponde, atualmente, por cerca de 28% de novos casos em mulheres. Apesar de raro, o câncer de mama também acomete homens com menos de 1% do total de casos da doença.

Esses números mostram que a conscientização é essencial para lembrar as mulheres sobre a importância do toque e o acompanhamento médico para o diagnóstico precoce do câncer.

O autoexame é um ato de amor próprio, previna-se! 🧡